terça-feira, 29 de abril de 2008

Dos poderes do Photoshop e de uma boa maquiagem


Com o perdão da falta de modéstia, estou me sentindo como uma dessas atrizes globais depois de terem passado pelo camarim e seus talentosos cabelereiros e maquiadores, pela direção de fotografia e finalmente pelo poderoso photoshop que, na Tv, equivale a um software chamado Skin Detail (na Globo pelo menos).


No que se refere à maquiagem, para mim o grande lance é ser maquiada e não parecer que se está maquiada. Ou seja, dar a impressão de que se nasceu assim mesmo. A iluminação e o corretor de imperfeições, seja para foto ou para imagem em movimento, claro, vêm para completar o trabalho.


Tudo isso resulta num efeito tão bom que a gente se olha e quase não se reconhece. Fica com uma vontadinha de "ser a própria imagem". Veja você que é assim que estou me sentindo depois de uma sessão de fotos em estúdio com minha barriga de fora. É incrível como acabei projeção de mim mesma e como isto ao mesmo tempo me fez bem, já que nesta fase, a gente vai a cada dia se acomodando dentro de formas cada vez mais redondas e distantes do que se tem por conceito como um padrão de beleza "convencional".


Então experenciei o que na verdade já imaginava com relação ao mundo das celebridades (guardadas as proporções). Uma boa produção faz maravilhas com leite de moça. E agora mais do que nunca vou lembrar disso cada vez que vir uma mulher de parar o trânsito na revista ou na televisão. De fato, a da foto ou da tv não existe.


É como a história da menina que fez uma sessão de fotos para a playboy e, depois de tanto photoshop, esqueceram de colocar o umbigo dela de volta nas fotos publicadas na revista.


No entanto, apesar da elaboração racional, ainda me faz confusão pensar como o belo, apesar de tão fugaz, tem tanta força de sedução a ponto de continuamente nos iludir. Era isso que Platão, Freud, e talvez tantos outros mais já tinham entendido a respeito da ação do belo (sentido lato) sobre nós e de quanto, ainda que fugaz, é absolutamente necessário. Ou como diz Caetano, "... a beleza e seu dom de iludir".

















Sobre as fotos, deixo algumas no blog, fazendo a ressalva que foram salvas, por questões mercadológicas, em baixíssima resolução pelo estúdio que as fez e por isso não chegam perto das que tenho impressas. São apenas o reflexo distante das "reais".

Em tempo, a maquiagem é do Júlio que trabalhou alguns anos maquiando estrelas para cinema e tv em São Paulo. E as fotos da Nildete do System Lab.

4 comentários:

Vanessa disse...

aiaiaia...
nem é pra tanto...hauheuaehue
a atriz ajuda...e o complemento tb...mas há Pedro Piccinin Soster, nem nasceu e já é estrela!!!
beijoo...

Vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa disse...

Fabi!
Hj vim aqui...ver tuuuudo! Fotos, textos, comentários...Ah a vanessa ali de cima não sou eu...
Achei tudo ótimo, lindo...os textos me emocionaram..li tudo! A descrição do peixinho foi ótima...sempre queria saber como era e nunca consegui uma descrição que me aproximasse tanto da sensação, pra mim ainda estranha, de ter outra pessoa ali dentro!
Sou uma ariana com ascendente em ságitário e lua em gêmeos (putz!) e sou da turma do "ai, que amor"... e isso aqui..tá um amoooor!
Bj grande!

Deise disse...

OI Fabi que lindas tuas fotos!
Tudo de bom pra vcs!!
Bjão